Website / blog

Irrigação, Manejo da Irrigação

Vantagens e desvantagens dos principais tipos de irrigação

A irrigação é uma técnica que tem como objetivo suprir as necessidades hídricas de uma área plantada em decorrência à baixa disponibilidade hídrica ou a má distribuição das chuvas. Os principais tipos de irrigação utilizados atualmente são a superficial, a localizada e a aspersão.

Irrigação superficial

Neste tipo a água é conduzida para o ponto de infiltração diretamente pela superfície do solo. Os sistemas de irrigação mais comuns para esse tipo são as irrigações por inundações e as irrigações por sulcos. Esse tipo de irrigação é bastante utilizado no sul do Brasil e na produção de arroz.

superficie

Irrigação por inundação.

Vantagens:

  • Baixo custo de implantação, energia e manutenção;
  • Favorece o aumento da fotossíntese nas folhas mais baixas, devido ao reflexo da luz na água;
  • O vento não limita a irrigação;
  • Promove a fixação do nitrogênio atmosférico, em decorrência ao favorecimento do crescimento de algas verde-azuis.

Desvantagens:

  • Água parada pode prejudicar as plantas, principalmente pela diminuição da respiração das raízes;
  • Bastante dependente da declividade do solo;
  • Erosões frequentes nos sulcos;
  • Ocorrem perdas de água por percolação.

Irrigação localizada

Neste tipo a água é aplicada na área ocupada pelas raízes das plantas, formando um círculo molhado ou faixa úmida. Essa técnica é muito utilizada nos dias atuais, sendo muito aplicada na produção de frutíferas. Os dois sistemas básicos na irrigação localizada são a microaspersão e o gotejamento.

gotejo

Irrigação por gotejamento.

Vantagens:

  • Baixo custo de mão-de-obra e de energia;
  • Elevada eficiência de aplicação, como a água é aplicada diretamente na raiz, ocorrem poucas perdas por evaporação;
  • Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes, com a fertirrigação;
  • Grande adaptação aos diferentes tipos de solo;
  • Mantém o solo uniformemente úmido e com oxigênio.
  • O vento e a declividade do terreno não limitam a irrigação;

Desvantagens:

  • Alto custo inicial, devido à grande quantidade de tubulações;
  • Bastante sensível ao entupimento dos orifícios de saída de água;
  • Diminuição da profundidade das raízes, devido à constante disponibilidade de água, isso pode diminuir a estabilidade da planta.

Irrigação por aspersão

Esse tipo simula uma chuva artificial onde um aspersor expele água para o ar, que por resistência aerodinâmica se transformam em pequenas cotículas de água que caem sobre o solo e plantas. Seus principais sistemas são a convencional, o pivô-central e o auto-propelido.

pivo

Pivôs.

Vantagens:

  • Baixo custo de mão-de-obra;
  • Elevada eficiência de aplicação;
  • Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes, com a fertirrigação;
  • Melhor controle da lâmina de irrigação;

Desvantagens:

  • Aumenta o desenvolvimento de doenças, devido as folhagens úmidas;
  • Elevados custos iniciais, de energia e de manutenção;
  • Limitada pelo vento e pela declividade do terreno;
  • Pode causar danos ao solo, devido ao escoamento de água nas proximidades.

Qual sistema de irrigação devo escolher?

A escolha do sistema mais adequado para a sua fazenda deve considerar o tipo de solo, o relevo, a disponibilidade de água, o clima, a cultura e o manejo de irrigação. Portanto, antes de instalar o sistema em sua fazenda é importante que você consulte um engenheiro agrônomo para lhe orientar na melhor decisão.

Gestão do sistema de irrigação

Como visto no post “3 formas de reduzir seus custos de irrigação”, em qualquer tipo de sistema de irrigação ocorrem desperdícios de água, de dinheiro e perda de produtividade; se deixados sem gerenciamento e sem um manejo de irrigação ideal. Isso ocorre até mesmo com os sistemas mais eficientes e melhores projetados. Além disso, é importante conhecer bem a disponibilidade hídrica em sua região.

Hoje em dia já existem sistemas que tornam a irrigação mais inteligente. Esses sistemas são conectados à internet e utilizam sensores que fazem o monitoramento da lavoura, de forma automática.

AG-0001-17-eBook_PFB-V03op01

Cultivo Inteligente

Com o objetivo de melhorar a produtividade e otimizar o uso dos recursos na agricultura a Agrosmart criou um modo de cultivo inteligente, conectando o agricultor a sua plantação. Assim ao monitorar mais de 10 variáveis ambientais,  utilizando sensores no campo, processamento de imagens de satélite, previsão de tempo e computação em nuvem, monitoramos plantações em tempo real para ajudar o produtor a entender as necessidades reais da planta em cada momento do seu desenvolvimento, e assim ajudar a tomar decisões mais precisas.

Como consequência, ao utilizar a Agrosmart, é possível economizar até 60% de água, energia e aumentar a produtividade ao mesmo tempo.

O sistema utiliza sensores de leitura automática, que eliminam a necessidade de ir a campo coletar dados e permite visualizar o comportamento da água no solo em diferentes profundidades das raízes.

Sensores de solo como alternativa de tensiômetros

Sensores de solo

Além disso, o sistema utiliza pluviômetros digitais que monitoram,de forma automática, a chuva em cada talhão. Desta forma, o produtor recebe diariamente recomendações precisas de quando e quanto irrigar.

Fale com um consultor especialistas em irrigação. Clique aqui, e saiba como você pode economizar energia e aumentar a produtividade da lavoura com um sistema inteligente.

Usuário utilizando sistema da Agrosmart

Produtor, observa no tablet informações coletadas por sensores no campo

 

Fontes: Agência EMBRAPA de Informação Técnológica; Instituto Agronômico do Pernambuco; UNESP de Ilha Solteira.

Posts relacionados: